Notícias

ROUPAS PARA MOTOCICLISMO

O que move a decisão de adquirir uma roupa para andar de motocicleta?


 
A dificuldade de decisão, muitas vezes está no comprador menos experiente, acreditando que irá precisar de determinadas características na roupa que viu e ou foi bem ou mal influenciado.

São influencias pela publicidade, fatores do gosto, preferências, valores de crenças , hábitos, opiniões alheias, suposições e uma infindável delas.

Devemos ter em mente uma escala de atributos que acreditamos serem necessários na roupa especializada que estamos precisando. São esses atributos físicos escolhidos, que nos poderá trazer uma autossatisfação como uma recompensa pessoal pela nossa aquisição.

Nessa tarefa inicial todo o cuidado é pouco para não sermos vítima do modismo, se formos por ele, certo é o erro, para a moda o que vale é a emoção que uma determinada marca proporciona.

A atividade de andar de motocicleta esta intimamente ligada a emoção, portanto a escolha desses equipamentos está muito próxima da emoção, devemos ter clareza das emoções para distingui- las.

O cuidado deve ser redobrado

Basicamente há duas abordagens para um processo de escolha, uma é pelo processo mental, com uma correta elaboração e análise das necessidades e a outra pela abordagem comportamental, a ansiedade, emoções, status, autoestima, auto realização, influencias tendenciosas.

Por exemplo, há jaquetas pesadas, quentes, sem ventilação, permeáveis e que por desatenção nossa acreditamos só no aspecto visual. Durante o uso vamos perceber que a jaqueta é muito ruim, mesmo sendo de uma marca renomada.

Lembro-me da minha primeira jaqueta, até bonita, mas no calor era muito quente, no frio, muito fria, além dos velcros estarem costurados do lado errado. Foi só usando para saber dos problemas.

Antes de entrar numa loja, há que pensar o seguinte: Para que finalidade eu quero uma jaqueta, quais minhas exigências funcionais para essa roupa?

Alguns pontos de análise para uma correta definição: clima, topografia, (condições do terreno, estradas, solo, altitude, umidade, temperatura), tecnologias para o desempenho do produto.

Dentre os aspectos de análise de uso : viajamos muito por terra, ou por estradas asfaltadas, por lugares mais ermos, ou para lugares onde há mais “civilização”, se iremos fazer uma viagem para um local frio, ou será por um clima desértico e ou se será por uma região que chove muito, etc ?

Alguns viajam por prazer, outros a trabalho (um trabalho prazeroso), se for a trabalho que tipo de roupa melhor me favorece. Há necessidade de muitos bolsos, precisa ter bons refletivos, precisa ter um forro especial?

Pensaria até se vamos com ou sem garupa ?

Essas coisas devem ser observadas, pois o investimento é alto e muita das vezes não terá jeito de resolver a má escolha durante a viagem.

Nesse pensamento há aspectos curiosos a verificar, um é evitar sofrimento ( frio, calor, chuva, escoriações, minimizar acidentes, etc.) outro é o prazer ( conforto, elegância, status, auto realização etc).

Devemos observar a qualidade objetiva como um atributo mensurável, diferente da qualidade afetiva que é emocional, que é a ação da sua procura, e que tem um julgamento cognitivo.

E esse julgamento na decisão de compra, muitas vezes poderá ser enganoso, pois perpassará objetividade confusa nas expectativas funcionais.

Temos que ficar atentos à situação de uso, e com a função de uso. Quando uma roupa oferece benefícios, são os seus atributos incorporados revelados e nossa satisfação recompensada.

Mesmo dispondo de mais informações, sendo mais exigente na hora da compra, às vezes valores errados prevalecem na decisão de escolha.

Essa roupa também deve ser pensada em termos climáticos, devemos ficar atento a pequenos detalhes que ela possa permitir como ter aberturas para ventilação, se é impermeável, se não absorve calor pela cor escura, temos que observar o máximo de possibilidades que ela possa oferecer, e todas as possibilidades de clima que talvez tivéssemos pela frente.

A maioria dessas roupas sendo importadas, são caracterizadas por um valor uniforme, padronizados, com atributos e benefícios que satisfazem necessidades e expectativas de consumidores em uma amplitude geográfica específica e restrita.

Não foram feitas para o clima brasileiro, quente, úmido, com variações abruptas durante o dia

A compensação do esforço realizado para sua aquisição, tanto o esforço financeiro como de tempo de escolha, seleção das emoções terá a ver com os benefícios adquiridos, que foram verificados pelos atributos de procura.

Um exemplo comum, uma boa jaqueta permite opções de fechamento frontal, mas por vezes oferecem tantas opções, que fica confuso saber o que é mais eficaz para determinada situação, até atrapalhando o conforto emocional. O mesmo se dá com os bolsos.

A qualidade da roupa deve ser maior do que o preço anunciado deve superar as expectativas do mais exigente comprador. Devemos gostar e comprar aquilo que nos prestam serviços pelo prazer que tiramos delas, por uma funcionalidade perfeitamente útil, por uma eficiência aplicável as nossas necessidades. Com um valor de conveniência perfeitamente adequado as nossas expectativas, e com um valor emocional que nos traga alegria.

A cor é uma característica marcante na roupa, a grande maioria é de cor preta. Acredito que essa predominância está associada a cor preta do couro, pois até alguns anos passados o couro era o material mais usado em roupas para motociclistas. Hoje já não é mais.

A cor preta é desfavorável em todas as circunstâncias, absorve muito calor, é pouco visível principalmente durante a noite, esconde a sujeira. Ponto muito desagradável, pensar que uma roupa está limpa e na verdade escondeu a sujeira. Há empresas especializadas em tratamentos muito eficazes nos tecidos, tornando-os impermeáveis e com um alto grau de repelência a poeiras e óleos, além de tinturarias especializadas em tingir da cor que quisermos.

As roupas de cores são mais alegres e vistosas, além de proporcionar uma jovialidade com esportividade. As combinações de cores dentro da modelagem de corte de uma roupa de motociclista são infindáveis. Ao optar por uma determinada combinação de cores algumas fabricas fazem estudos cromáticos para obter uma gama variada de cores. Mas há fabricas que mesmo usando cores, fazem uso intenso do preto com poucas partes coloridas, no entanto outras que nenhum de seus produtos é preto, e tem uma gama de cores tão rica e elegante que as tornam muito sofisticadas pelo desenho. Sobre as cores, não é um bom argumento de escolha decidir por uma que suja pouco. Usou, viajou , suou, sujou tem que ser lavada e bem higienizada.

Recentemente ouvi de um usuário de motocicleta vendo um conjunto de jaqueta e calça importada dizendo ser aquela “o sonho de consumo” dele. Ao ouvir aquilo, disse-lhe, porque você não analisa melhor a roupa e verá que ela tem várias coisas que são desnecessárias e até um complicador durante as viagens. Vendo o seu espanto fui orientando-o a analisar cada item que a roupa tinha, e verificamos juntos que havia mais penduricalhos que eficiência nas suas partes.

Vou dar um exemplo que eu gosto muito de observar. Há jaquetas que o forro térmico é fixado por zíper no corpo da jaqueta. Quando estamos na estrada tudo bem, pode ser interessante, mas ao sairmos da motocicleta e entramos em um local fechado o calor é muito desagradável.
Se tirarmos a jaqueta, vai ficar frio, se ficarmos com ela vamos sentir o desconforto do calor. Esse forro térmico não deve ser fixo a jaqueta, mas livre, pois ao tirarmos a jaqueta ficamos com esse forro, que na realidade se transforma numa jaqueta térmica e que, se tiver um bom corte poderá ser usada separadamente em outras ocasiões, até socialmente.

Os bolsos é outro assunto bom de analisar. O que levamos nos bolsos durante uma viagem?
Qual é o tamanho ideal dos bolsos e onde deve ser sua localização? Quantos bolsos?
Essas perguntas são importantes para análise de compra. Ter muitos bolsos não significa ter qualidade, as vezes nos perdemos neles. O que está, e onde está o que eu procuro?
Até agora sem muito problema. Essas análises são subjetivas e parciais, vai de acordo com a capacidade de cada usuário.

Ao começarmos a analise técnica do tipo de tecido e forro as coisas ficam mais complicadas:

Qual é a melhor?

Cordura, couro, poliamida, nylon, Tactel, Gorotex , etc?

Falaremos sobre essas tecnologias em outra oportunidade, pois são completamente diferentes umas das outras, cada uma com sua finalidade specífica.


Fernando Zanforlin
TOURENTEX, tecnologia e segurança em roupas de motociclismo

 
 
 
Bookmark e Compartilhe
 

Comentários (1)

2/2/2017 20:06:53
UW6TUUWYUMS
Can you feel the papapapapa PANIC?What flavor did you have this morning? Ramen?what flavor for lunch?How ’bout dihhir?heheneheheheTnes is payback time for years of twisting and spinning.
 

Comente

Nome
E-mail
Comentário
Escreva a chave:
GEJP
 abaixo