Especiais

UM MOTOCICLISTA EM MISSÃO NO AFEGANISTÃO

 
clique na foto para ampliá-la
Qual é o sentimento de um motociclista estar viajando por outras terras, onde a motocicleta não o acompanha.

A motocicleta, para mim, significa liberdade. Estar sem ela, sem poder pegar uma estrada e partir, realça de forma dramática a clausura típica vivida num cenário de guerra, onde a liberdade de movimentos é, por questões de segurança, muito limitada.

A diferença entre a obrigação de Viajar numa Missão Militar e viajar de motocicleta por países sensíveis na atual conjuntura no cenário mundial.

Eu sou militar, e mais do que obrigação, é o sentimento do dever que me leva a participar nesta missão. A nossa missão tem como objectivo melhorar a sua capacidade técnica, o que nos permite dessa forma contribuir para o seu desenvolvimento económico.

Como motociclista, estou mais habituado a receber dos povos que visito a sua cultura, os seus hábitos, as suas belezas naturais….o seu conhecimento. O motociclista é por natureza alguém sedento de estrada…e de gente. Assim, a maior diferença que sinto nestes dois estados (militar/motociclista), é a diferença entre o dar e o receber.

clique na foto para ampliá-la
clique na foto para ampliá-la
clique na foto para ampliá-la














Como as pessoas locais te enxergam como um militar, e se estivesse de motocicleta, como você acha que seria esta recepção. As diferenças.

Infelizmente, para as pessoas locais, um militar é um elemento comum do seu dia-a-dia. É sinal que o país está em guerra já há demasiado tempo, mas tenho esperanças de podermos contribuir para que em breve seja criado um ambiente seguro o suficiente para se dispensar esta força militarizada tão grande. Nesse Afeganistão estabilizado, certamente que será um prazer viajar. Os Afegãos usam bastante as suas motocicletas de baixa cilindrada e fortemente ornamentadas, denotando o orgulho típico que o motociclista tem no seu veículo. Não é raro vermos três, quatro indivíduos na mesma motocicleta, todos sempre com um sorriso estampado na cara. Seria um encontro muito interessante entre motociclistas ocidentais tão organizados e artilhados de bagagem com estes motociclistas tão…..puros e genuínos.


clique na foto para ampliá-la
O que mais te marca neste lugar, as dificuldades...

O Afeganistão é um retalho de tribos que vivem sobre os seus próprios princípios e leis. No entanto, é fácil encontrar elementos comuns que os caracterizam, e talvez o mais marcante seja o valor que dão ao relacionamento humano. Os contactos com os Afegãos devem ser sempre sinceros, pois eles perceberão se não forem.
Se formos honestos, teremos um amigo que nos dirá “you my friend”, a seguir pergunta se a família está boa e depois convida-nos a beber um chá, algo que fica mal recusar. A maior dificuldade sentida talvez se prenda com as condições de higiene: existe muito pó no ar, no verão principalmente, a água canalizada não é potável, os esgotos são a céu aberto e a lixeira fica mesmo junto à cidade (Cabul).
Como facilmente se imagina, a qualidade do ar é bastante má.

Pretende algum dia voltar de motocicleta ao Afeganistão

Gostaria sim, nem que seja para conhecer a sensação de andar livre por este país. Da base onde me encontro, vejo um conjunto montanhoso que praticamente nos rodeia, todo salpicado de neve. Para um motociclista, é inevitável imaginar-nos a atravessar aquelas serras e descobrir a cada curva uma paisagem completamente diferente. Algo parecido com a travessia que fizemos do Atlas em Marrocos.


Como você resumiria a reação do povo Afegão a sua pessoa, um dia voltando ao país de motocicleta

clique na foto para ampliá-la
Imagino que muito bem. Até quando nos deslocamos em colunas militares, as crianças na beira da rua dizem adeus e correm atrás. Desde que se conheça, compreenda e cumpra os seus costumes e hábitos, algo que vivamente recomendo aos possíveis interessados em visitar este país, os Afegãos mostram-se bastante afáveis e hospitaleiros.
Por exemplo, quando oferecemos qualquer coisa, uma caneta, algo sem grande valor, eles sentirão o dever de retribuir com outra oferenda. Isto aconteceu-me num mercado, o Afegão disse que gostava de uma caneta que tinha no bolso, eu ofereci-lha e ele retribuiu com umas meias que demonstrou serem muito resistentes.


Nos seus momentos de descanso, fale das suas reflexões e a saudade da motocicleta

Quando estamos assim tão deslocados de tudo como eu, da família, da bela comida Portuguesa, de uma bela prainha ou até de uma simples cerveja, é importante desenvolvermos mecanismo de escape que atenuem esses sentimentos de…..saudades. Falo todos os dias com a minha mulher e companheira de viagens, e sem dúvida que o assunto preferido é o planear as nossas próximas aventuras de motocicleta. Planear é já por si uma forma de viajar, uma vez que nos obriga a imaginar a chegar a esses locais onde nunca fomos, e isso tem um efeito terapêutico muito bom em mim. O Brasil está nos nossos planos a curto prazo, e sei que vou poder contar com o teu apoio, mais uma vez, nessa aventura ;).

clique na foto para ampliá-la
clique na foto para ampliá-la
clique na foto para ampliá-la














Suas reflexões quando passamos por viagem de motocicleta em vários outros países e a receptividade dos povos, e até mesmo quando nós estávamos juntos em viagem de moto por época da insurgência politica, a Primavera Árabe, e o triste episódio no Atentado da Praça de Marakesh.

Penso que quanto mais rustica for a povoação, mais humilde, melhor é a receptividade para com os visitantes. Nas grandes cidades com fortes tradições comerciais, existe por parte dos locais uma sede terrível pelos turistas, o que torna esse contacto agressivo e pouco natural. Por isso evito nos meus planeamentos esses grandes centros, preferindo outros roteiros que me levem a locais inóspitos, mas onde será mais fácil conhecer as pessoas e os seus costumes. Sobre Marraquexe, é irónico pensar que estando eu no Afeganistão, o mais próximo que estive de um atentado foi em Marrocos na Praça de Marakesh. Serve para nos lembrar que sitio algum é completamente seguro, e que nos planeamentos devemos ter essa preocupação. No entanto, para mim, o grande e verdadeiro perigo, é o de ficarmos em casa, deixar a vida passar sem nos fazermos à estrada quando existe um mundo tão grande e interessante lá fora por explorar.

Fotografia tirada em Gibraltar - Joana e Carlos Bonito  







































Quero mais uma vez agradecer ao amigo Carlos Bonito por nos estar dando as suas impressões em conviver em um território difícil, e em muito breve, vou ter o prazer em recebê-lo por aqui na companhia da sua esposa, a Joana, que também tive o prazer em conhecê-la, para que com as nossas motocicletas, possa mostrar os encantos da nossa Terra Brasil.

Estamos todos torcendo para que você logo termine a sua missão em segurança e em paz.

E deixo aqui postada uma fotografia a qual pude registrar de você e da Joana enquanto esperávamos para cruzar o Estreito de Gibraltar.

Obrigado, Carlos, e em muito breve estaremos dividindo outros territórios com as nossas motocicletas, em especial, aqui pelo Brasil.


Eduardo Wermelinger

______________________________________________________________________

Em 21/05/2012

Nossa gente....muito obrigado pelos convites. Quando visitar o Brasil, eu vou cobrar tudinho...vou querer conhecer o que de mais lindo o Brasil tem. Abraço a todos e muito obrigado!

Carlos Bonito
cmrbonito@gmail.com
 
 
 
Bookmark e Compartilhe
 

Comentários (12)

7/7/2012 14:30:10
CRISTINA SANTOS
Olá Carlos
Adorei ler este blog. É de todo o interesse saber como os nossos militares actuam em missões no estrangeiro, principalmente em países tão diferentes dos ocidentais, como uma filosofia de vida completamente diferente da nossa. É bom sabermos que estão aí para ajudar a reconstruir um país tão abalado por guerras desnecessárias, pois creio, que se os Homens fizessem o mínimo de esforço por se entenderem através da "palavra", muita coisa mudaria neste planeta Terra e para melhor. Infelizmente o Homem é um ser egoísta e com espírito bélico! Já o meu pai dizia: "Quem não vai à palavra, não vai à pancada". Mas o ser humano é complicado... Não sou filósofa, nem pretensões a isso, mas, como diz o ditado: depois da tempestade vem a bonança, e, portanto, com a ajuda de alguns, o Afeganistão encontrará o seu caminho!!
Pois assim que puderem Carlos e Joana (minha sobrinha e afilhada) visitem o Brasil, porque vale a pena. Adorava lá voltar novamente. Não deixem de visitar as cataratas de Iguaçu com a sua imponência, onde nos sentimos pequeninos perante tanta grandeza e também pequenas cidades como Ouro Preto. Um encanto!
Felicidades Carlos e que tudo corra bem para ti e companheiros de Armas.
Abraços da tia amiga
 
2/6/2012 23:40:49
JU MEDEIROS
Muito bom a matéria Eduardo. E temos que mostrar ao Carlos e esposa, nosso pais. Onde esta a viagem de voces?
 
29/5/2012 20:10:45
ALBERTO MENDONÇA
Carlos Bonito,
Aproveite o seu tempo por aí para planejar as sua viagens de moto, e saiba, iremos te receber de braços aberto aqui no Brasil.
Boa sorte e um grande abraço.
 
28/5/2012 18:07:56
POLICARPO JR
Adorei essa entrevista... puxa vida que paralelo, experiências e reflexões. ..."o grande e verdadeiro perigo, é o de ficarmos em casa, deixar a vida passar sem nos fazermos à estrada quando existe um mundo tão grande e interessante lá fora por explorar" uma lição de vida do Carlos Bonito. Parabéns!
 
24/5/2012 17:25:25
LEANDRO BAPTISTA
Prezado Carlos Bonito,
sei o quanto é difícil estarmos distantes da nossa família.
O tempo passa rápido, e em muito breve, você estará novamente com a esposa pelas estradas.
Te aguardamos aqui no Brasil.
Saúde, sucesso, e conte com o abraço dos amigos brasileiros.
 
24/5/2012 07:36:23
MARCELO ARAUJO
Muito interessante.nao da para imaginar o que eh viver no dis a dia em um pais tao diferente. Bom saber que o espirito do motociclista tambem existe neste pais tao sofrido.

Abr,
Marcelo Araujo
 
23/5/2012 18:49:49
ALFONSO LUGRIS
Amigo Eduardo:: Me encanta la lectura de vuestras aventuras en moto por los parajes de este bello planeta. Lindo de verdad lo que Carlos Bonito nos decribe, a él damos las gracias por enseñarnos que aún en gerra esos paises conservan un alto grado de HUMANIDAD!!!!
 
22/5/2012 05:45:45
OSWALDO SENNA
Carlos Bonito,
Sou amigo do Eduardo Wermelinger, e moro aqui aqui em Madrid há mais de 20 anos. No dia em que vocês pegaram o Ferry para o norte da Africa, eu estava presente com a minha esposa, o Mário e família de Portugal. Me lembro que o Eduardo vinha do norte da Europa e encontrou com vocês para juntos seguir viagens.
Um abraço e aproveite muito lá no Brasil.
Oswaldo, Madrid, 22/maio/2012
 
21/5/2012 13:20:29
HELIO SAMPAIO
Carlos Bonito e Joana, venham conhecer Minas Gerais.
O Edu sempre está rodando aqui por esta região.
Estamos de braços abertos te esperando para vocês experimentarem a gastronomia mineira, e ver o quanto é hospitaleiro o povo das Minas Gerais.
Boa sorte aí pra você.
 
21/5/2012 12:55:53
JULIANO MORAES
Carlos e esposa, sejam muito bem vindos aqui no Brasil. Estive em 2007 em Portugal e fui muito bem recebido pelos motociclistas portugueses.
Saiba, já és um amigo, ainda mais sendo amigo de viagem do Eduardo.
Sorte aí na sua missão.
Abraços e obrigado por nos repassar as suas impressões deste lugar com um olhar de um motociclista.
Juliano Moraes (Piracicaba)
 
21/5/2012 12:47:04
SERGINHO SILVA RIO DO SUL, SC
Coisa linda irmão.
Se puder, por ocasião da visita do casal Carlos e Joana, traga-os para conhecer também as paisagens do Sul. Lindo relato. Parabéns !
 
21/5/2012 12:45:06
OTAVIO ARAUJO GUGU
Eduardo, você sempre com novidades... essa foi inesperada, será muito bom se pudermos apoiar e mostrar nosso país ao Carlos e esposa, conte comigo no que precisar. Podemos levá-los a Campos do Jordão e a Ubatuba. Meu fraterno moto abraço a todos.
 

Comente

Nome
E-mail
Comentário
Escreva a chave:
PSIR
 abaixo