Rotas

DESTINOS DESCONHECIDOS

 
Fazendo um tour off road por vários lugares a nordeste do Estado de Minas Gerais, em determinado momento durante a minha viagem vi que havia algo de errado na rota que tinha traçado no meu GPS.

Recorri ao mapa impresso e de acordo com a minhas coordenadas geográficas não consegui visualizar na cartografia estradas e acessos na minha posição. Observei o piso e não havia indícios de marcas de pneus recentes naquela estrada estreita. Sabia que onde me encontrava era o ponto de intercessão do Cerrado com a Mata Atlântica. Mas não me preocupei em estar meio perdido, o máximo que poderia acontecer seria retornar e voltar para o ponto onde tinha errado o acesso. Autonomia não era problema, tinha muito combustível no tanque, e a paisagem era de tirar o fôlego. Muito linda!

clique na foto para ampliá-la
RIACHOS PELA ROTA  
clique na foto para ampliá-la
CACHOEIRAS EM QUEDAS  
clique na foto para ampliá-la
TRECHOS OFF ROAD  















Mas tinha algo diferente ali onde eu estava. Uma atmosfera muito mística, pois já havia avistado alguns símbolos, uma espécie de “marco” com três pedras paralelas cravadas no chão como indicasse a direção de algum destino. A minha curiosidade foi muito maior em saber o que poderia encontrar pela frente, do que simplesmente manobrar a motocicleta e retomar o que já havia planejado. Qualquer decisão de rumo seria compensadora.

clique na foto para ampliá-la
MARCOS COM 3 PEDRAS NA ESTRADA  
clique na foto para ampliá-la
ANIMAIS SOLTOS   
clique na foto para ampliá-la
REPRESAS PELA ESTRADA  















Olhei no altímetro e estava a 1700 metros acima do nível do mar, e os vales e as montanhas eram cortados por fortes ventos vindos do leste, que sacodiam as folhagens das árvores fazendo que a natureza se mostrasse intensamente viva. Uma névoa cobria grande parte das montanhas, e em determinados trechos daquela estrada de terra bem estreita, tinha que diminuir a velocidade quando adentrava em algum nevoeiro mais intenso, onde minha visibilidade se restringia a poucos metros.

clique na foto para ampliá-la
Naquela estrada o piso era bem diversificado, onde os quilômetros eram divididos por passagens por rios com pedras arredondadas, terra rígida, terra fofa, cascalhos, um pouco de lama e areia branca, o que não é comum na região onde predomina a terra vermelha. Este contraste dava ainda mais beleza aquela paisagem.

Iam surgindo pontes de madeiras que por muitas vezes antes de atravessar com a motocicleta, eu parava e ia checar a pé a resistência para que pudesse seguir em frente. Pequenos riachos, bosques de araucária se formavam próximo a pequenas represas onde gados e cavalos dividiam o mesmo espaço. Não havia cercas o que é muito normal nestas regiões rurais, e isso dava ainda mais uma sensação que o lugar era de fato selvagem.

Eu olhava o altímetro do GPS e cada vez mais ia ganhando altura, e podia perceber a mudança do piso e da vegetação. Já me aproximava de uma formação rochosa e aquela areia branca ia ganhando uma tonalidade acinzentada.

Sempre olhando para o alto das montanhas rochosas em determinado momento pude observar uma cachoeira. Não me restou alternativa em tentar me aproximar ao máximo da daquela queda d´água para fazer umas fotos. Mas não conseguia acesso com a motocicleta, não restando outra opção em fotografar a distância.

Retomei a estrada e fui seguindo os “marcos das três pedras”. Em média a cada 5 km as encontrava na mesma disposição, paralelas e cravadas na terra, sem qualquer inscrição ou sinal que identificasse algo.


clique na foto para ampliá-la
CRUZ E OBJETOS  
clique na foto para ampliá-la
CRUZ NO MEIO DA NEBLINA  
clique na foto para ampliá-la













Depois de uns 30 km subindo na direção dos “marcos”, encontrei uma cruz. Esta cruz era de madeira, mas com muitos objetos presos a mesma. Sequer qualquer imagem de Jesus Cristo. Eram panos já em traças, pedaços de corda torcidos, flores naturais, e na parte superior da cruz, uma espécie de pássaro construído de argila. Fiquei ali por uns 30 minutos a fim de entender o significado daquela cruz. Olhei para o piso querendo identificar se havia marca de pneus ou de pegadas humanas, mas o local estava totalmente abandonado.

O nevoeiro fazia o lugar ficar ainda mais místico

Mas ali ainda tinha uma estrada que levava mais para o alto daquela montanha que era contornada por formações rochosas. Fui subindo, seguindo a estrada até chegar até uma espécie de cancela de madeira onde havia mais três predas que segui durante todo o percurso. O interessante é que na pedra central, já tinha uma ranhura como se fosse uma seta indicando a direção. No topo desta cancela de madeira havia umas inscrições que lembravam o alfabeto grego.

clique na foto para ampliá-la
Estacionei a motocicleta ali mesmo e segui a pé. Após caminhar uns 500 metros, tinha uma ponte de madeira, bem artesanal, bem colada ao penhasco com cerca de uns 100 metros de extensão, onde abaixo deveria ter um vão com mais de uns 1000 metros de altura. Fui caminhando lentamente sobre a ponte a fim de testar a resistência para saber se me aguentaria fazer a travessia.

Havia um corrimão nas extremidades desta ponte, que me chamou atenção a forma a qual estava preso na estrutura, pois não haviam pregos ou amarração, eram todos devidamente encaixados uns aos outros.



Lentamente atravessei a ponte artesanal e iniciei a subida em busca de saciar a minha curiosidade

clique na foto para ampliá-la
clique na foto para ampliá-la
clique na foto para ampliá-la
Repentinamente comecei a ver uma espécie de símbolo que pela distância não conseguia identificar. Aonde eu me encontrava aquele objeto parecia uma cruz quebrada. Mas na medida que me aproximava o objeto ia ganhando forma. Não consegui definir exatamente. Era uma escultura em pedra e madeira que apontava para o céu. Lentamente eu me posicionava de vários ângulos para entender melhor qual seria o significado daquela escultura e por debaixo de um dos arcos fui surpreendido com uma igreja construída em um patamar mais acima.

clique na foto para ampliá-la
Saí em direção a este patamar em um nível mais elevado, e na subida uma cobra cascavel atravessava o caminho. Ali me toquei que devia ficar mais atento aonde pisaria e tomar cuidado ao me aproximar das inúmeras fendas daquela formação rochosa. Mais uns 500 metros de caminhada e cheguei ao nível daquela pequena igreja. Não havia qualquer inscrição que indicasse a época da sua construção, apenas um sino coberto pelo zinabre e um sol com uma águia no seu centro.



Tentei entrar naquele pequeno templo, mesmo podendo observar que não estava trancada, não consegui abrir a porta por estar visivelmente empenada.

Permaneci no topo daquela montanha entre a igreja e a escultura por mais de duas horas e não conseguia encontrar uma resposta pela razão da construção daquele templo totalmente isolado e de difícil acesso. Era evidente que o lugar não era frequentado há tempo, não existia qualquer indício de presença de alguém por ali.

Na tentativa de descobrir o que seria este lugar, fui pesquisar no mapa qual seria o povoado mais perto a fim de buscar informações com as pessoas locais sobre quando e quem fez aquela escultura e a época em que a igrejinha foi construída, encontrei um lugarejo chamado São José do Itueto, e pra lá plotei no meu GPS as coordenadas e retomei a descida pegando a estrada em direção aquele distrito.

Depois de umas duas horas de estrada de chão, cheguei a São José do Itueto e comecei a procurar a igreja daquele lugarejo. Não foi difícil encontrar, bem em frente a um minúsculo gramado de uma pequena rua que resumia o lugar. Lá fui atendido de forma muito gentil pelo Padre Everardo, que já se encontra ali desde 2005. Passei as fotos para o laptop e as mostrei ao Padre Everardo, e segundo o mesmo, nunca sequer tinha ouvido falar daquele local.

Agradeci a receptividade do Padre Everardo despedindo-me e tentei no lugarejo saber quem seria o morador mais antigo que pudesse me dizer algo a respeito do que tanto eu queria saber. Fui indicado ao senhor José Brandão, 69 anos, agricultor, nascido e criado em São José do Itueto. Senhor José Brandão me repassou muitas informações da região, sobre as romarias, as festividades e hábitos culturais locais, mas o que estava aguçando a minha curiosidade, nada acrescentou.

Como já eram quase 4 horas da tarde, e eu ainda tinha uns 200 km a rodar, deixei aquele lugarejo em direção ao meu destino.

Não me darei por satisfeito enquanto realmente souber o que é aquele lugar, a sua origem e o significado daquele espaço que de forma inesperada surgiu como destino em parte da minha rota.

Mais uma vez quero frisar o quanto é mágico este nosso Brasil, principalmente lugares místicos como este, situado bem pertinho, aqui na nossa cordilheira brasileira, a Serra do Espinhaço.

Um grande abraço e boas estradas.

Eduardo Wermelinger
 
 
 
Bookmark e Compartilhe
 

Comentários (62)

26/8/2016 16:08:51
ANDRÉA SENA
Olá Eduardo Wermelinger, fiquei fascinada por este lugar, gostaria de saber se conseguiu mais informações sobre os símbolos, os marcos de três pedras e a igreja com o sol e a águia, de data essa construção. Caso tenha mais informações te imploro, me avisa. Fã de suas aventuras
 
24/11/2015 14:04:23
CLAUDIO NASCIMENTO
Caro Eduardo,esse relato da viagem de MG na serra do espinhaço me chamou muito atenção os registros feitos sobre as descobertas feitas por acaso.Gostaria de saber se tem alguma novidade a respeito daquele lugar mistico onde tem a igreja.
 
10/12/2014 16:40:34
ALESSANDRO CERRI
A uns dois anos atrás eu lí seu relato e fique encantado com a narrativa e as fotos, pois são lugares assim que procuro visitar. Voltei a ler agora novamente e o encantamento foi o mesmo! Teria as coordenadas para passar?
Obrigado
 
7/6/2014 21:38:22
JORGE GUSTAVO RIGO
Parabens pela aventura e outras que já li. Achei esta da Serra do espinhaço em MG muito interessante. Gostaria que vc me fornecesse as coordenadas para que eu possa primeiro visualizar através do Google earth e posteriormente traçar uma rota para visitar. Desde já agradeço com um abraço. Do amigo Jorge
 
5/3/2014 13:17:23
ALESSANDRO
Opa! Gostei do lugar, vc tem só as coordenadas pra me passar? Se puder agradeço, depois te conto minha aventura e o que descobri.
Abs.
 
7/3/2012 18:58:31
DRICKA KARVALHO
Eduardo! Que tour fantástico! Me parece realmente um lugar místico. Parabéns pela aventura!
 
8/2/2012 15:35:50
JU MEDEIROS
Destinos Desconhecidos,

Eduardo, uma vez vi uma foto de Venturosa - PE uma pedra furada, foi reduto do meu pai quando na infancia, vou passar por lá e te enviar essa foto. Se possivel posta novamente a foto, pois nunca mais a achei por aqui.
 
7/11/2011 20:30:37
LEONARDO COUTO NIVASOUTO.BLOGSPOT.COM
Que relato empolgante Eduardo. Uma pena o desfeche ainda ser uma incógnita. O clima úmido e a neblina deram um tom de sinistro. Derrepente você viajou no tempo, passou por algum portal para uma dimensão paralela... sei lá! Só sei que se puder me passar quero estas coordenadas. Um dia vou fazer esta visita e vivenciar em loco esta aventura. Abraço.
 
7/11/2011 19:58:49
PAULO EDUARDO OLIVEIRA DE VILHENA MORAES
Xará, esta região é alucinante!
estivemos aí para fazer uma gravação, e jurei que iria voltar com mais calma, e de moto, para explorar mais toda esta região.
Abraços,
Paulo Vilhena
 
26/10/2011 19:58:50
CÍCERO BELLUCO
Meu amigo Eduardo,

Deve ter sido uma experiência incrível! Realmente viajar por este País é uma satisfação. Nesse último final de semana estivemos (eu e o Luís Fernando) em um lugar chamado Capela do Rio do Peixe, no Município de Pirinópolis, em Goiás. Um espetáculo o lugarejo! Fiquei impressionado com a hospitalidade das pessoas e com a beleza do lugar. Quanto ao final da sua aventura, não se esqueça de nos informar quando descobrir que lugar é aquele.
Um forte abraço e valeu pelo incrível relato.
Belluco
 
26/10/2011 14:37:31
ADIANO LANCASTER
Amigos,
vocês precisam conhecer Icapui.
Fica uma dica para este paraíso. Cheguei ontem de lá, e pretendo voltar o mais breve possível!
Eduardo, parabéns pelo texto e fotos.
Abraços.
 
25/10/2011 23:05:42
DIOGENES MOREIRA
Vou muito na serra da canastra , la é magico tb, ja passei pertinho de Sao Jose do Itueto mas nao parei, vc tem as cordenadas exatas do local da capelinha abandonada ?abraço.
 
25/10/2011 22:22:53
DIOGENES MOREIRA
HISTORIA E LUGAR MUITO LEGAL , MG É MAGICA MESMO !!!!!!!!! VOU TENTAR IR LA TB , ABRAÇO
 
18/10/2011 23:49:46
ANDREA BOAVENTURA
Eduardo, vc me mata de curiosidade com esse relato! me senti percorrendo esse caminho mistico. Se conseguir mais alguma informacao, por favor, nos informe.
 
18/10/2011 22:58:57
FERNANDO COSTA
Edu, que história mais doida, muito legal, imagino tua sensação *perdido* nesse lugar mágico. Valeu, obrigado por compartilhar, abração!
 
18/10/2011 19:50:28
PAULO MEDINA
Eduardo, sensacional esta estrada! Estive aí em 2007 com o Glaus da KTM, mas a chuva atrapalhou a subida, não pra KTM do Glaus, mas fiquei agarrado com minha GS. Nós chegamos até a Cruz da foto que vc tirou, mas seguir em frente meu amigo, não deu. Mas pode ter certeza que voltarei, e com os pneus iguais ao que vc está usando na sua GSA. Parabéns pelo relato. Me fez conhecer o alto do penhasco com o seu texto e fotos.
Abraços.
Medina
 
15/10/2011 14:32:18
DELSON SOUZA
O local é facinante realmente transmite muita paz só de ver, parabens por você nos dar esta oportunidade de conhecer esta local maravilhoso.
 
13/10/2011 18:09:52
ARY FREITAS
Ei Eduardo, achei o lugar, fica mais próximo de Resplendor MG.
Eu saindo de Vila Velha ES, vou até Colatina, depois a Baixo Guandú, depois a Resplendor, daí saio a esquerda em direção a Santa Rita do Itueto e por fim São José do Itueto.
Fica aí a dica pra quem quiser seguir esta rota.
Grande abraço.
 
13/10/2011 17:59:23
ARY FREITAS
Ei Eduardo, beleza rapaz ?
Este lugar pra mim é realmente lindo, tranquilo e repousante, tenho hábito de procurar lugares como este para uma tripezinha.
Parabéns, você conseguiu me incentivar a conhecê-lo. Qual a cidade mais conhecida nas proximidades ?
Tu conhece Glicério RJ, próximo a entrada de Macaé na BR 101. Ali tem um caminho até o topo dos montes, onde se encontra uma represa da CERJ, companhia de água do Estado do Rio de Janeiro. Creio que ira adorar o lugar.
Grande abraço.
 
13/10/2011 15:36:06
GLADSON
TIVE A OPORTUNIDADE DE TROCAR UMAS PALAVRAS COM O EDUARDO NA NOSSA CONCESSIONARIA .. POXA SE ALGUEM QUISER DESCOBRIR O VERDADEIRO CAMINHO DA FELICIDADE COMPRE UMA MOTO..
 
13/10/2011 15:13:20
GABRIELA FIUZA
Quanta coragem Eduardo, se atrever a desvendar lugares que nao se encontra nem mesmo em mapas...
Parabensss...belíssima viagem e lindas fotos!!!
Beijos!!!!
 
13/10/2011 12:09:38
NETO
Caro Eduardo é sempre um prazer poder compartilhar suas viagens, a uns 3 anos atrás passei por la vi as pedras mas não sabia da igreja e escultura, ainda tinha o defeito paulista de querer fazer tudo rápido e acabava não vendo nada. Irei de novo e com calma! Abs Neto
 
13/10/2011 10:36:44
RICARDO TEIXEIRA
Grande Eduardo....Relato fantástico de um Brasil desconhecido.
Pelas mensagens postadas, você conseguiu atingir uma gama diversificada de pessoas. Um grande abraço..
 
13/10/2011 09:53:06
ADV
Estou achando que o Eduardo vai virar um Paulo Coelho BEEEEMMMM melhorado, diga-se de passagem! Material, sensibilidade e carisma, certamente não faltam para nosso motoaventureiro! Aí, Eduardo!!! Tá perdendo tempo e nos deixando angustiados!!! Acho que vc tem o DEVER de nos brindar com um livro em breve relatando suas viagens, coalhado de fotos, etc. Vai vender que nem pão quente no sábado pela manhã!!! Sucesso!!! Abraços; Adv
 
13/10/2011 09:48:09
VINICIUS FONSECA
Lindas fotos, como sempre!!! rs
E aí meu amigo, quando vamos dar um passeio com as motocas pelo Jalapão?!
Abraço!!!

Vinicius
 
13/10/2011 09:26:07
JU MEDEIROS
Muito o bom o caminho de Compostela brasileiro, cuidado se não quando descobrirem vai virar algo muito bom. kkkkk , belo texto e bela descoberta, me interesso em saber mais, passa pra gente as coordenadas de como chegar.
 
13/10/2011 09:19:33
FERNANDO ZANFORLIN
Olá, Eduardo, fico contente, agradecido e inspirado, seus relatos das viagens, são mais do que um convite a seguir pelas trilhas do Brasil.Vai nessa amigo. Um dia cruzaremos numa.
abs.
 
13/10/2011 00:51:11
OTAVIO ARAUJO GUGU
Virou Rondom agora, Eduardo? Desbravando... por isso sumiu do mapa? Belo passeio, o texto me deixou emocionado, estou em Cafayate dando um passeio por essas bandas. Fraterno moto abraço a todos, Gugu
 
12/10/2011 23:57:22
FERNANDO KPA7
Relato maravilhoso.A sua narrativa nos insere na aventura.Parabéns Eduardo!
 
12/10/2011 23:45:16
MARCELO FABRICANTE
Meu Amigo Eduardo,
Ainda crio coragem e coloco minha moto nessas trilhas off road, parabéns pela viagem.
Abração
 
12/10/2011 23:29:12
CELSO
É certo que existem 2 maneiras de viajar de moto. Uma quando subimos na moto e passamos a fazer parte da paisagem. Outra é o deleite de ler relatos como esse. É como se estivéssemos lá. Concordo. Com uma moto só existe fronteira pra quem limita seus próprios sonhos. Valeu Eduardo.

Celso - SP
 
12/10/2011 23:24:15
NELSON CAMPELO
Muito bom o seu relato Eduardo. Quero depois pegar contigo as coordenadas desta região. Acho uma excelente ideia fazermos viagens curtas, principalmente aqui pelo Brasil, onde temos muito ainda o que conhecer. Agradeço por nos trazer estas dicas, e parabéns. Nelson Campelo (São Paulo/SP)
 
12/10/2011 21:28:34
JORGE CANCELLA
Caro Eduardo, relato místico e intrigante; gostei muito!
Realmente você é um moto-bandeirante mesmo!
Parabéns pela "moto-aventurança" companheiro.
 
12/10/2011 20:47:57
ROBERTO BARBOSA
Eduardo vc é um Iluminado meu Irmão e com essas qualidades é um Bom Exemplo para ser seguido pelos seus pares, continue com esse Espirito, nos alimentando com novas Aventuras e Informação. Nós Homens e Mulheres estamos passando por um processo de Evolução(Espiritual e Material), juntamente com nosso Planeta e você meu Amigo está Literalmente em ascensão.
Obrigado e um Forte Motoabraço para "Todos".
 
12/10/2011 20:16:51
GERSON WEBER
Um grande amigo me repassou o link deste relato, com muita emoção percorri as letras.Estou muito curioso em conhecer o lugar.
Obrigado pelo compartilhamento !
Gerson Weber
 
12/10/2011 19:52:27
LUCIANO DELLANO RODRIGUES
Grande Edu! vc doido como sempre! rs. Nunca mais me esqueço quando te encontrei com o suíço lá na Ilha de São Francisco do Sul, vc chegando do meio do mato, e te perguntei o que tinha de legal naquela trilha, me disseste que o lugar era maravilhoso, mas maravilha foi a minha foto ficar quase enterrada naquele pântano! rs. Pra te seguir só nos teus relatos meu amigo!
um grande abraço, e apareça por aqui.
Dellano
 
12/10/2011 19:34:37
MARCIO ALVES ROBERTO
Eduardo, belo e interessante relato! Realmente temos locais aqui perto de nós, dentro do nosso grande Brasil, que nos surpreendem e enchem de emoções! continue andando e nos premiando com os seus relatos! Abçs!
Marcio - Campo Grande/MS
 
12/10/2011 18:33:53
GABRIEL FONSECA DE BARROS
Eduardo, como vai meu amigo? Nos conhecemos em Taltal, perto de Antofogasta, Chile, em 2006. Eu estava de KTM com mais dois parceiros, também de KTM. Lembrou? Esta sua narrativa "é a sua cara" meu amigo! Me lembro exatamente como se fosse hoje, você chegando com sua GSA e a máquina pendurada no pescoço, e ao pararmos, ali vi fotografias de lugares mais ao norte pr onde tínhamos passado, e sequer a sensibilidade de explorar um pouquinho mais. Depois nós três voltamos uns 50 km, pegamos o atalho que você falou e constatamos de perto a beleza do lugar que o seu o seu olhar fotografou e também fizemos as nossas fotos. Até hoje minha filha usa no seu computador como fundo de tela uma daquelas paisagens.
E isso aí meu amigo! Muito legal o seu site, eu não conhecia, a deixei meu email de contato no ato desta postagem, e espero que me escreva para retomarmos o contato.
Um abração!
Gabriel
 
12/10/2011 18:26:10
RICARDO ATACAMA
Eduardo
Vou plagiar o "Koronel" ... voce é um MotoBandeirante, buscando novas rotas, ousadas, e nem sempre distantes !!!!
Faz agente grudar na telinha e sonhar !!!
Grande abraço
Ricardo Atacama
 
12/10/2011 17:52:06
OSCAR FLEURY
Edu,
Fantástica esse seu "desbravamento insólito", faço parecido as vezes pelo meu Goiás afora, só não tenho coragem de ir só. Continue, pois Deus estará sempre na sua garupa te mostrando suas maravilhas.
Abraços motociclísticos.
 
12/10/2011 17:12:50
KORONEL
CARO EDUARDO: O AMIGO NÃO É UM MOTOCICLISTA ESTRADEIRO, VOCÊ É UM DESBRAVADOR, UM BANDEIRANTE DO SÉCULO XXI, UM CARA DE CORAGEM, POIS ENFRENTAR ESSAS ÁREAS INÓSPITAS, SÓ COM A MOTOCICLETA, EMBORA SEJA UMA EXCELENTE COMPANHEIRA, TEM QUE TER MUITA PERCEVERANÇA. Parabéns!
 
12/10/2011 17:06:44
RENATO OLIVEIRA
Caro Eduardo, tive o prazer de te conhecer em Belo Horizonte e fiquei ainda mais admirado com sua capacidade e determinação em nos trazer informações. vi outras fotos de sua aventura com o Cassius e não resta duvida que Vc é abençoado. Continue nos enriquecendo de emoção e vivencia.
Abraços
Renato Piru
 
12/10/2011 17:00:17
PADRE GREGÓRIO NASCIMENTO AMARANTES
Esta igreja teve o início da sua construção em 1764. Pertence ao município de São João Batista do Morro Grande, MG.
Quanto ao monumento, seria em pedra sabão e madeira, representando São Gabriel, Arcanjo confidente de Deus.
O Padre Everardo me ligou e falou a respeito da sua curiosidade.
Que Deus sempre siga os seus passos e ilumine as suas estradas.
Abraços.
Padre Gregório
 
12/10/2011 16:57:56
ALBERTÃO
A paisagem é muito mais bonita quando vista do alto.
Belo texto e parabens pela aventura.
Forte abraço
Abt
 
12/10/2011 16:57:46
MIRIAN BEATRIZ

Eduardo,
Li seu relato através de um amigo que enviou-me.
Interessante o conhecimento geográfico que demonstrou ao descrever e registrar paisagens.
Agrada não só aos integrantes do grupo de motociclistas, mas a mim, particularmente, professora de geografia, que vi no seu texto uma oportunidade de aprendizagem a ser trabalhada em sala de aula.
Parabéns, relatos assim demonstram que " sempre haverá novas fronteiras, quando não limitarmos nossos sonhos.

 
12/10/2011 16:31:41
WALDEIR VASCONCELOS
Eduardo,
Muito emocionante sua narrativa! Encheu-me de curiosidade e desejo de estar ali, vivendo suas experiências! Parabéns por sua coragem de motociclista solitário! Sucesso e felicidades!
Grande abraço!
Waldeir-Itaúna-MG
 
12/10/2011 16:22:22
NEI OLIVER
Rapaz, quando descubrir algo mais sobre este lugar me avise, tbm despertou minha curiosidade!!! Estranho ninguem saber de nada ali na região! Abraço e bélos passeios.
 
12/10/2011 16:19:40
PESRINHO
GRANDE EDUARDO; PARABÉNS PELA CORAGEM E DETERMINAÇÃO, AO SAIR ASSIM EM CARREIRA SOLO POR,
"TERRAS NUNCA ANTES NAVEGÁVEIS".
MAS É ASSIM MESMO A PAIXÃO PELA MOTO E A NATUREZA.
NÃO SERIA DE SE ESPANTAR, SE VOCÊ NÃO CONSEGUIR NENHUMA EXPLICAÇÃO PARA TAIS MARAVILHAS COMPLETAMENTE ESCONDIDAS LITERALMENTE NO MEIO DO NADA.
MAIS ESPANTOSO AINDA, É O PERFEITO ESTADO DE CONSERVAÇÃO EM QUE SE ENCONTRAM, TANTO A CAPELA, QUANTO A PONTE E ESSA ESTRANHA MONTAGEM DE MADEIRA PRÓXIMO A MOTO, QUE SABE-SE LÁ O QUE ISSO SIGNIFICA?
TÃO INTRIGANTE QUANTO ESSAS OBRAS, É A PAIXÃO PELA MOTOCICLETA.
EXISTEM COISAS QUE NUNCA TERÃO UMA EXPLICAÇÃO LÓGICA OU CONVINCENTE.
ATÉ PORQUE NÃO ADIANTARIA NENHUMA EXPLICAÇÃO;
""" NINGUÉM IRIA ENTENDER"""

GRANDE ABRAÇO, PEDRINHO.
ESQUADRÃO ÁGUIA, OURO BRANCO - MG
 
12/10/2011 16:05:16
LUCIANO FRAGA
Lugar muito místico. Minha filha e genro já estiveram nesta região e tentaram chegar até o marco da cruz, no caminho que leva ao topo desta igreja, mas não conseguiram em razão da péssima condição da estrada. Edu, agora me conta: eles estavam de Defender Land Rover 4x4 e ficaram agarrados na subida, como é que você chegou aí com esta moto? Tem outra estrada? Tenho muita curiosidade de também visitar este local. Você no seu relato está correto, existia uma peregrinação como no Caminho de Santiago de Compostela. Muito bacana. Abraços. Fraga
 
12/10/2011 16:00:33
SANDRO LESSA
Caro Irmão Motociclista, doEduardo Wermelinger!

Leio esse vosso espirituoso relato, exatamente hoje 12/10/2011, dia de Nossa Senhora Aparecida - Padroeira do Brasil, me emocionei, me vi em você! Oportunidade em que me lembrei de um texto "POESIA" do Lendário By Lennon "
" Assim como o Falcão que peregrino Voa Livre todos os dias, numa constante demonstração de liberdade e satisfação, já de muito tambem ecoa seu canto de prazer pelas artérias negras do Planeta;
Assim como o Condor continua com seu vôo livre, o motociclista firma-se também como mensageiro da liberdade transendental dos Anjos!
Assim é o Motociclista, a mais bela firmação divina, a motocicleta é a sua cúmplice inseparável, a mais poderosa, é puro prazer, é a eternidade da distinção entre o querer e efetivamente fazer. Junto à motocicleta somos eternamente livres e eternamente consagrados como deuses do asfalto e mensageiro da alegria e do prazer.
Se vive mais em cinco minutos viajando em cima de uma moto, do que certas pessoas vivem a vida toda.
O perigo é tempero da vida, por isso é preciso se arriscar de vez em quando... è o que faz a vida valer a pena!
Na vida o que vale é a viagem e não o desnino"
PARABENS, esteja sempre com o Divino nas suas eternas viagens.
Sandro Lessa
 
12/10/2011 15:55:07
HOMERO LARA
Relato impressionante e intrigante. Além de motociclista aventureiro você tem habilidades inatas de um bom escritor. Parabéns pela narrativa.
 
12/10/2011 15:33:56
CMELLO
Grande Eduardo,
Não fosse pelas lindas fotos, alguns incrédulos poderiam dizer tu estavas "sonhando" com essas maravilhas todas.
Independente do que indicam as pesquisa na internet, tenho certeza de que o que fica para vc é a maravilhosa sensação de fazer parte daquele cenário místico, de pisar pela primeira vez num terreno tão inóspito e tão cheio de surpresas e imagens maravilhosas. Tenho certeza de que vc, ao mesmo tempo que parecia tão só, nunca esteve tão Bem Acompanhado.
Só quem encara a estrada e busca a vida de frente sabe o que se sente num momento como este.
Grande abraço,
CMello


 
12/10/2011 15:19:04
BEATRIZ BALEN SUSIN
Maravilhoso relato e experiência...parabéns. Abraço. Beatriz
 
11/10/2011 13:05:06
DANIEL ALVARES
À propósito, o local fotografado, de acordo com pesquisas na net, fica em Morro Redondo, na cidade de Ipoema! E a capela Capela do Senhor do Bonfim!

Vlw!
 
11/10/2011 12:21:27
DANIEL ALVARES
A foto da moto ao lado da cruz, em meio à névoa ficou demais!!! Parabéns pelas fotos e pelo relato!
 
11/10/2011 10:52:32
DONATO MONTEIRO
Amigo Eduardo,
Texto instigante, muito bem redigido e com uma áurea convidativa. Parabéns por teu ímpeto e sensibilidade. Deve haver uma explicação lógica para todo este enredo (marcos de pedra, cruz, estatua, igreja, etc) o que sei é que este querido Brasil nos guarda grandes surpresas, principalmente em sua entranhas off-road.
Grande abraço.
Boa estrada.
Donato Monteiro.
 
9/10/2011 23:41:14
EDSON LUIZ SIONEK
BIG Eduardo, novamente surpreso por sua narrativa, a curiosidade pelo desconhecido sempre leva a descobertas surpreendentes, parabéns pela aventura e aguardamos mais informações sobre o destino desconhecido.
forte abraço
Edson Sionek
 
9/10/2011 19:51:52
FERNANDO PEDROSO
Edu,
eu ja te falei varias vezes, mas vou repetir, eu viajo junto com estas imagens e textos tao auto explicativos, de fato esta sua GSA e objeto de grandes descobertas, que coisa, que lugar magico, acredite como eu bem te conheço, Deus esta te guiando e bem ao seu lado, meu grande amigo não esqueça de quando passar por aqui me ligar para sairmos e comentarmos mais esta sua aventura, tão perto e tão longe este lugar magico e desconhecido, abraço grande e Deus ilumine seu caminho sempre
 
9/10/2011 18:13:21
JOÃO CARLOS ABRAÃO
Caro Eduardo, não nos conhecemos, mas gostaria de um dia ter a oportunidade de tomarmos um café. Sou amigo do Alfredo Lacerda. Você sempre nos trazendo fatos interessantes. Sou de São Paulo, mas minha família por parte de pai, é desta região, e conheço um pouco da história deste lugar. Na verdade, no final do século XVIII, tentaram fazer deste local uma referência de peregrinação. Ainda estou pegando prática em pilotar em terrenos off road com minha motocicleta, mas assim que fizer algum curso e já tiver condições, também quero pegar estradas como esta.
Um grande abraço e desejo-lhe muitas estradas pela frente, a fim que você nos relate as suas experiências.
João Carlos

 
9/10/2011 17:57:29
MARIA MÁRCIA VERONA
Acredito que o Cristo não estava na cruz simbolizando a Sua (do Cristo) própria ressurreição. Por isso também os panos e o Pássaro (Simbolismo do Espírito Santo). Assim como o Sol e a águia acima da porta da igrejinha, simbolizam o Cristo( Sol da humanidade) e o Espírito Santo (a águia). O Cristo que ressurreto caminha conosco e nos envia o Espírito Santo para nos consolar por sua ausência física aqui na terra. Lindos símbolos, meu caro Eduardo! Reflita sobre eles na sua linda jornada onde acredito que o Próprio Cristo te acompanha.
Lembranças minhas a você.
 
9/10/2011 16:57:46
MARCELO ARAUJO
Simplesmente fantastico esta experiencia! e parabens pela coragem de seguir em frente em um local solitario e desconhecido....esse eh o real espirito da aventura!

Abr,
Marcelo Araujo
 
9/10/2011 09:07:47
PADRE FREI ADILSON CORREA DA SILVA PARÓQUIA SÃO FRANCISCO BH
As paisagens são belíssimas e realmente nos remete ao "Divino" ao Sagrado. O conjunto de pedras que formam uma rota que conduz ao cruzerio, nos rementem a via sacra ou "via crucis" os passos de Cristo para o Calvário. Com um olhar da fé o conjunto de três pedras em cada "estação", no insere no Mistério da Trindade, Deus uno e Trino: Deus que se fez homem pela força do Espírito Santo e veio habitar entre nós! Que Deus nos ilumine em nossa caminhada rumo à Pátria celeste. Abraço. Telefone da paróquia: (31) 3412-9788
 

Comente

Nome
E-mail
Comentário
Escreva a chave:
QETO
 abaixo