Rotas

CONTRASTES ENTRE PAREDES

 
Azemmour (Marrocos) era uma cidade ocupada pelos fenícios e depois dominada pelo romanos.

A história parece estar viva a cada metro no interior da medina



A medina Azemmour traz uma característica diferente das demais, sendo muito tranquila. Pode-se ver mesquitas, muitas lojas de artesãos e tecelões, mas sem aquela agitação das demais medinas as quais visitei pelo norte do continente africano. Podia-se sentir o silêncio no meio daquelas paredes que formavam uma incrível acústica.





















Já eram quase oito horas da noite quando cheguei a medina, mas o dia ainda claro.
Aonde estacionei a motocicleta até o Riad que ficaria hospedado, tive que andar uns 300 metros. Podia ouvir os meus passos ecoando e algumas vozes que viam de alguma direção que eu não conseguia identificar. Ali eu seguia em silêncio. Observava as paredes pintadas simetricamente por azul, um tom de roxo e branco. Por mais deserto de pessoas, totalmente diferente das confusões das demais medinas, havia uma sensação que história era viva naqueles becos.


clique na foto para ampliá-la
clique na foto para ampliá-la
Como não sei falar árabe, mas com gestos me fiz entender junto a um garoto que me ajudou e levar as minhas malas da motocicleta e direcionando-me aonde iria hospedar-me.

Naquele momento a única coisa que queria era tomar uma boa ducha, comer algo e descansar.

Ao chegar na porta do Riad, como sempre, esperava um lugar limpo, aconchegante, para que eu pudesse renovar as minhas energias para a próxima jornada.

O REFLEXO DOS CONTRASTES

clique na foto para ampliá-la
clique na foto para ampliá-la
clique na foto para ampliá-la














Mas desta vez não! Foi algo impactante! A porta ao se abrir ouvi uma música de Bach, uma iluminação direcional, velas, um pequeno chafariz e pétalas de flores sobre a água.

Para completar todo aquele requinte um piano de cauda entre uma sala de estar e de jantar, onde composta por talheres de prata e taças de cristais austríacos.

Todo aquele cenário contribuiu para que as minhas energias fossem renovadas. Mas depois de uma excelente ducha e ter jantado um “tajine” , fui para sala de estar do Riad tomar um chá, o que é uma tradição naquele país, comecei a relembrar cada passo ao entrar na medina, e as diferenças e o contraste o qual é separado por centímetros a realidade da vida naquele local.

Estes centímetros me levaram a muitas reflexões.

Pense também nestes seus centímetros.

Um abraço,

Eduardo Wermelinger


 
 
 
Bookmark e Compartilhe
 

Comentários (18)

23/7/2011 21:41:20
EVANDRO DALBEN
Poucos motociclistas tem a sensibilidade e escrevem tão bem quando o Eduardo (amigo e Parceiro)! Sempre leio os comentarios e assim como o Amigo GUGU fiquei pasmo com o Matheus Resende ! Jamais e em hipotese alguma, sobre efeito de alcool ou não existe justificativa para comentar ou escrever algo tão pequeno como seu comentario. Isso entristece toda a comunidade motociclista que acompanha o belissimo trabalho do Wermeling. As vezes penso que todo o conteudo dos sites deveriam ser restritos por senha ! principalmente conteudo tão especiais e bem elaborados do Rotaway !

 
6/7/2011 10:16:36
ADV
Eduardo!
Como sempre, excelente texto e imagens sensíveis.
Que "Alah" continue te brindando com saúde, para que possas trazer estas para nós.
Sabemos que não podemos muitas vezes mudar os centímetros do mundo, mas se pudermos mudar milímetros de alguém, nem que seja fazer uma criança sorrir ao subir nas nossas motos, já teremos feito algo.
Pior do que fazer pouco, é não fazer nada...
Abraços! Adv
 
4/7/2011 14:11:47
MARCELO FREIRE
Meu prezado amigo Eduardo, apesar de ser um dos seus mais recentes amigos, a leitura dos artigos do site, suas imagens e filmagens, fizeram crescer a admiração pela sua sensibilidade
na descrição cultural e histórica dos lugares onde voce pratica nosso maior sonho: VIAJAR DE MOTO!
Sua dedicação para o crescimento do site, que é um excelente meio de interação entre as nossas opiniões, é admirável! Agradeço a oportunidade de ver essas imagens e as suas opiniões sobre esses fantásticos lugares onde voce e os amigos
passeiam e curtem, assim, alem de sonhar, no futuro saberei escolher um belo lugar entre tantos, para ir com minha familia.
Um forte abraço, meu caro, continue mantendo essa mesma caracteristica editorial: a diferenciação entre tantos.
Até!
 
4/7/2011 09:55:35
ROBERTO TRINDADE
Primeiramente, gostaria de elogiar a sensibilidade filosofica e intercultural de seu texto. Não é facil tecer uma analise de mundos historicamente diferenciados, com a lente ocidental.Por isso, caro Eduardo, por essas limitações, o ser humano, digo Humano, cria a arte de abstrair, admirar e transcender em pensamentos.Com isso estás te aprimorando a cada dia e como estamos em um Estado de Direito, temos a liberdade de falar o que quiser, mas tambem devemos saber ouvir e ao ao Sr. Resende, gostaria apenas de esclarecer que seu comentário classista e preconceituoso peca pela essencia, pois qualidades metafisicas,carater, sensibilidade, instinto aventureiro e relacionamento agregador ou seja, qualidade em fazer amigos está bem longe de quem fica aumentado seu saldo em conta corrente, pois isso tambem vicia. Olhe a sua volta, abraços
Trindade
 
3/7/2011 22:13:37
MATHEUS RESENDE
Eduardo Wermelinger e todos por aqui e aos amigos que me escreveram diretamente. Venho humildemente pedir as minhas desculpas. Minha intenção não foi essa. Confesso que ao ler o texto, não tinha entendido. Não por ser burro, mas tinha tomados uns uísques. Eduardo, cara, não te conheço pessoalmente mas muitos amigos te conhece, e você é muito querido por todos. Cara, saiba que te admiro muito por todas as suas inciativas junto ao incentivo que você dá para o motociclismo.

Foi mal Eduardo.

Um abraço e o meu sincero arrependimento.

Matheus
 
3/7/2011 22:05:20
CRISTIANA LOBATTO
Muito legal Eduardo.
São experiências como estas que nos crescer.

Eduardo, quanto a comentários despropositados, não esquente. Existem interpretações e INTERPRETAÇÕES.

Abraços.

Cris Lobatto
 
3/7/2011 20:22:43
EDUARDO
Senhor Matheus Resende,
Já que não entendeu nada da mensagem do Wemerlinger, poderia ao menos pedir "maiores explicações" ou simplesmente ficar calado.
Seu mal educado !!!!!
 
2/7/2011 00:33:04
VINICIUS LA TORRE
Eduardo, perfeito! Também conheci estes riads em 2004 quando viajei por esta região. Infelizmente não estava de motocicleta, mas curti o suficiente.
Exatamente o que você descreve, resume em poucas palavras o que senti naquelas medinas.
Muito legal!
Abs.
Vinicius
 
1/7/2011 19:04:34
OTAVIO ARAUJO GUGU
Amigo Eduardo,
Tenho por hábito ler os comentários já postados, olhar quem já leu aquele trecho de sua viagem e depois sim, escrever meu comentário.
Desta vez aconteceu o mesmo que se passou com aquela crônica que te enviei e vc publicou, lembra?
Infelizmente existem pessoas deste nível e caráter. Com certeza o Sr. Matheus Resende não é motociclista. Um verdadeiro motociclista como nós e nossos amigos JAMAIS escreveria o que acabei de ler. Fiquei pasmo, sem palavras. Você com seu caráter nobre e altruísta poderia ter removido/eliminado esse comentário, mas não, deixou ali postado para que outros leiam e possam comentar essa postagem absurda e desnecessária.
Bom, a caravana passa... que sonho de viagem, pensei que tinha esquecido desse trecho e que iria deixar os amigos a ver navios.
Continue sempre assim, vc é uma pessoa especial, desprendida, amiga, sincera, prestativa.
Fraterno moto abraço a todos,
Otavio Araujo - Gugu
 
1/7/2011 14:34:13
EDUARDO PRATA
Valeuuu Eduardo.
de centimetros em centimetros vamos vivendo e apreciando. O que acho incrivel nas viagens é perceber que tem ainda tem povos que guardam a sua cultura nesta desenfreada e louca mundialização.
Minha conquista a Asia esta adiada para o ano que vem, tenho que assumir compromissos na minha empresa mas, logo logo viro um "vadio" e minha esposa tambem ai, é pra galera....
Tá aberto o convite, partimos de moscou até lago baikal, atravesamos a mongolia, entramos na china varamos pelo norte do vietnan dai pro cambogia e tailandia, em um voo para katmandu e de lá para nova deli, ai voo pro brasil -65 dias topa!
 
1/7/2011 11:49:08
DARIO TELLES
Eduardo,

Muito bacana as suas impressões.
Mais uma vez parabéns em estar por aqui dividindo a sua sensibilidade.

Este seu texto deveria servir de lição para que determinadas pessoas que ou portar por aqui, tivesse mais dignidade e mensurar as suas colocações. Mas infelizmente o mundo não é perfeito.

Endosso as palavras do Victor Hugo.

Eduardo, continue sempre assim, nos transmitindo o verdadeiro espírito de um motociclista.

Um grande abraço.

Telles
 
1/7/2011 11:39:31
VICTOR HUGO CALAZANS

MATHEUS RESENDE

Voce está completamente equivocado quanto ao Eduardo.

Eu o conheço há mais de 20 anos. Uma pessoa íntegra, prestativo, solidário, bom amigo e muito querido por todos. Um homem de espírito nobre.

Fica nítida a infelicidade no teor da sua postagem, que ainda prefiro acreditar Matheus, que não tivesse o suficiente discernimento para entender o que o Edu quis nos passar, e lamentavelmente utilizar estes espaço aberto a todos, para que possam com a plena liberdade expressar as suas opiniões construtivas aos objetivos do Rotaway.

Mas chegar ao ponto de fazer ofensas descabidas, o que posso lhe sugerir é que procure algum outro emprego que não te tome a sua valiosa referência do sentido de CENTÍMETROS.

Amigo Edu, não esquenta. Como sempre, belas as suas impressões.

Um abraço,
Victor Hugo
 
1/7/2011 11:21:12
MATHEUS RESENDE
O Eduardo! Larga de hipocrisia! Você tem dinheiro para caralho, fica fazendo alusões filosóficas que não coloca em prática!!! Qual é? Centímetros são os descontos relacionados no meu contra-cheque cara. Pára com isso. Isso é burguesia disfarçada.
O teu trabalho é até muito legal. Mas fala de moto, aventura e o cassete, mas não vire poeta porque a sua a praia é queimar gasolina pelas estradas.
Fui!!!!!!!!!!
MR
 
1/7/2011 11:21:07
CARLOS PEREIRA NETO
Somente a benfazeja solidão vivenciada por quem se aventura montado numa moto pelas estradas, é capaz de fazer aflorar do fundo do coração os mais sublimes sentimentos. Parabéns estradeiro!
Fraternal abraço.
 
1/7/2011 11:10:18
V7
CMELLO, teu exemplo foi perfeito. Vivemos em mundos paralelos e contrastantes, divididos por centímetros.
 
1/7/2011 10:44:44
MARCELO RESENDE
Os ótimos e sempre sensíveis comentários do Eduardo.
Isso é para quem tem, sobretudo, coração.
As fotos ficaram ótimas.
Abraço.
Marcelo
 
1/7/2011 10:38:46
CMELLO
Para usar um exemplo muito vivido por todos nós, diariamente: os vidros de nossos carros (menos de meio cm) também separam dois mundos, o que "paga pesados impostos" e o que "não recebe os benefícios desse dinheiro".
 
1/7/2011 07:47:03
BRUNO RAFAEL BARBIERI
Como sempre um bom texto. Bem escrito, e que realmente nos transfere da realidade para dentro do tema!
Parabéns de novo meu caro!
Abraços e bom final de semana!
 

Comente

Nome
E-mail
Comentário
Escreva a chave:
CHGE
 abaixo