Africa Adventure

BOTSWANA DO SUL AO NORTE – PARTE III

 
clique na foto para ampliá-la
Era um dia em que a chuva ameaçava cair e teríamos que estar atentos ao viajar pela região que por muitas vezes os mapas tinham registros assinalados como “Estradas 4x4”. Mas não fique muito animado caso esteja de motocicleta, Pois esse 4x4 é realmente exclusivo para veículos com tração nas quatros rodas em razão da grande quantidade de areia na extensão das rotas.

A cartografia digitalizada adquirida na Map4Africa é a mais precisa das quais tivemos acesso, mas mesmo assim, pelo raro trânsito de motocicletas pela região, deve-se ter muita atenção nas estradas onde estejam com indicação de “SAND” (Areia) ou “GRAVEL” (Cascalho). Muito provavelmente estas indicações não sejam muito apropriadas para motocicleta.

Se eu estivesse fazendo uma viagem solo, certamente teria problemas em determinados trechos. A parceria foi um fator preponderante para que pudéssemos vencer alguns obstáculos.

Após passamos por D´kar, chegamos em uma bifurcação em Sehithwa, onde para nordeste chegaríamos a Naun e se pegássemos uma estrada para o norte, iríamos chegar ao oeste do Okawango Delta. Não demoramos mais do que cinco minutos para decidir que aquela região a qual o mapa nos indicava estradas com “GRAVEL” na sua extensão seria que mais nos atraia em razão de algumas informações de que tal região seria pouco explorada, inclusive por algumas referências de advertência assinaladas no mapa digital, como trechos de areia e lama.

Combinamos em prosseguir, e caso o grau de dificuldade se tornasse algo que não compensasse, apenas retornaríamos e seguiríamos a rota para Naun.

Tudo estava conspirando a nosso favor. A estrada até que estava muito tranquila, onde apenas alguns trechos com pequenos bancos de areia nos surpreendiam, mas nada que viesse a atrapalhar a pilotagem.


clique na foto para ampliá-la
clique na foto para ampliá-la
clique na foto para ampliá-la


Naquela estrada, os indícios da vida selvagem já iam gradativamente se manifestando. Impalas Corriam à frente das motocicletas como se quisessem nos mostrar o caminho. Um pequeno elefante caminhava pela savana e uma expressiva quantidade de pássaros nos sobrevoava.

Depois de rodarmos aproximadamente uns 200 quilômetros, chegamos na fronteira norte com a Namíbia.


clique na foto para ampliá-la
clique na foto para ampliá-la
clique na foto para ampliá-la













A chuva era muito forte e o meu barômetro sempre acertava

Na fronteira encontramos um dos controles fronteiriços que, mesmo diante aquela tempestade, foi o mais divertido. A burocracia nem tanto nos tomou tempo, mas um fato ficou marcado naquela unidade.

Enquanto eu aguardava Marcelo terminar sua tramitação, chegou ao meu lado um militar que fazia a segurança daquela Unidade de Fronteira e, como muitas outras pessoas em locais por onde passamos, disse que nunca tinha estado pessoalmente à frente de uma motocicleta. Com muitas outras perguntas sobre o veículo de duas rodas, começou a insinuar diante a sua curiosidade a vontade de dar uma volta de motocicleta, até que foi conciso em dizer que queria de fato andar na garupa, mesmo que ali, naquele perímetro de controle da fronteira.

Na mesma hora, quando vi que Marcelo já estava posicionado na sua motocicleta, disse ao militar para subir no banco de traz da motocicleta do Marcelo e a autoridade não se fez de rogado. O cara não apenas subiu: ele pulou na garupa do Marcelo.

O Marcelo, assustado, olhou para mim e perguntou o que estava acontecendo e eu expliquei a situação. O Marcelo não sabia se ria ou se chorava. A cena era muito cômica!!! O militar tirou uma pistola Beretta do seu coldre, segurou-a na mão e ficou grudado no Marcelo.







































Veja na foto que o roll bag já tomava quase todo espaço no banco traseiro na motocicleta do Marcelo, mas o militar coube ali mesmo!

Assim, o Marcelo não tinha outra saída a não levar o militar para desfrutar alguns poucos metro do prazer que é estar sobre uma motocicleta. Mas, de repente, vi que as suas voltas se repetiam!!! Opa! O que é isso? Um representante do Estado Namibiano gastando gasolina de um cidadão brasileiro, natural de Minas Gerais, mais precisamente de Conceição de Mato Dentro!!! Não! Brincadeira gente. O militar estava com um sorriso de felicidade indescritível.

Neste instante, Marcelo me olha como se estive perguntando: E agora? Sugestão dada e aceita: saia em direção ao outro lado da fronteira que ele vai pular da motocicleta........E não deu outra! O militar, quando viu que Marcelo estava atravessando a fronteira com ele na garupa, não desceu na motocicleta, mas sim deu um salto daqueles que quase desiquilibrou o Marcelo.......

Como já eram quase 4 horas da tarde e tínhamos que procurar algum lugar para pernoitar e eu já havia registrado alguns Lodges na região, seguimos em direção às margens do Okawango Delta.

clique na foto para ampliá-la
clique na foto para ampliá-la
clique na foto para ampliá-la

clique na foto para ampliá-la
clique na foto para ampliá-la
clique na foto para ampliá-la












Naquele local uma outra topografia nos aguardava. O terreno começou a ficar novamente um pouco mais difícil em razão da areia, mas com cuidado deu para seguir até chegarmos a um Lodge as margens do Delta.

Ao chegarmos no Lodge que tínhamos no GPS vimos que outras pessoas de várias partes do mundo também ali se hospedavam. Turistas que exploravam a região com as suas camionetes 4x4 como Land Rover e Toyota.

O Lodge embora não seja nada luxuoso, tinha uma excelente infraestrutura. Todos os chalés com ar condicionado, um restaurante muito bem montado com as mesas em um deck sobre as águas do Delta e cais com embarcações atracadas para quem quisesse explorar melhor o interior do Owakawango.

clique na foto para ampliá-la
clique na foto para ampliá-la
clique na foto para ampliá-la














Ali já estávamos em uma região habitada por crocodilos e hipopótamos

clique na foto para ampliá-la
Para não estender muito este relato, neste local, quando fomo atravessar o Delta, sofremos a primeira investida do instinto selvagem, onde um hipopótamo atacou o nosso pequeno barquinho. Mas vou deixar este capítulo para o Marcelo Resende descrever esta passagem com um tom de humor, que só ele mesmo saberá dar àquela situação.

E assim continuamos Viajando pela África Livre. Em breve mais relatos...

Um grande abraço,

Eduardo Wermelinger





Leia também:
SEM COMBUSTÍVEL PELO CAPRIVI
 
 
 
Bookmark e Compartilhe
 

Comentários (9)

15/1/2012 19:15:38
RUITER FRANCO
Gdes Amigos Eduardo, Marcelo e Gugu!!
Gostei de ler a sugestão do Gugu. Pois esta sugestão eu dei a Eduardo em um de nossos ultimos dialogos telefonicos (rs), pois o volume de dados, imagens filmadas e fotografias, com certeza não cabem em um só livro.
Tudo bem com o site traz muitas e uteis informações, mas os livros nos permitiriam uma leitura bem gostosa em nossas viagens aéreas, e ou antes de dormir para então sonharmos com estas belas viagens.
Alias o Gugu tambem precisa editar um livro, não é Eduardo?
Forte abraço a todos, e obrigado mais uma vez ao Eduardo e ao Marcelo por nos permitirem tambem participar desta bela viagem ao continente Africano.
 
12/1/2012 23:39:49
RODRIGO GALANTE
Estou quase pegando minha moto encontrar vocês. Como gostaria de estar vivendo esta aventura. Parabéns aos dois! Grande abraço e continuem em segurança.
 
12/1/2012 10:34:29
GERALDO BERGAMO FILHO GEBÊ
Como sempre não desgrudo de seus relatos e a cada um novo uma nova espectativa que se traduz em prazer como se alí eu estivesse também. Parabéns novamente e não demore para nos atualizar.
grande abraço Gebê
 
11/1/2012 21:10:11
VAGNER AREND COITINHO
A cada relato lido, mais vejo nossa necessidade de novos lugares a explorar... Já sinto que o Sul do Brasil, mais os países vizinhos, estão ficando pequenos para minhas investidas.... Cada vêz quero ir mais longe... Já cheguei ao MS, a Bahia e a ânsia de ir mais e mais, é cada vêz mais latente... Continuem com estas belas narrativas, que nós cada vêz mais agradeceremos... Um Abração, a gente se vê por este Mundão de Deus. Vagner(Lobo Negro).
 
11/1/2012 18:42:46
PORCOCANE
por mais que eu fale ,,,nao terei palavras para mencionar esta incrivel aventura,,,,,,,,,,,,,,,,,parabens centauros ........um motoabraco e fica com DEUS.........................
 
11/1/2012 18:20:42
PAULO ROBERTO VEIGA
E aí gente, muito show! Qual é deste site, é da BMW ou de alguma revista? Tô vendo só moto BMW e algumas pequenas matérias de outras marcas. Mata a curiosidade da galera!
Fora isso, parabéns, viagem muito louca!!! Valeu! Abs
 
11/1/2012 18:15:57
JÚLIO M. ARAGÃO
Conheci este site neste último mês, e vou aqui dizer uma coisa para vocês, idealizadores deste portal: Não só viajo os km percorridos por vocês nestes relatos, como a cada publicação, me motivo cada vez mais em planejar a minha viagem.
Eduardo e Marcelo, que ainda não os conheço pessoalmente. Parabéns pela viagem! Júlio Aragão (Discovery Networks Brasil)
 
11/1/2012 18:05:46
WALDEIR VASCONCELOS
Maravilha de relato! Esta é a viagem de meus sonhos! Parabenizo os "heróis" aventureiros dessa terra fantástica chamada Africa. Espero um dia ser personagem dessa história.
Abraço,
Waldeir
 
11/1/2012 17:48:47
OTAVIO ARAUJO GUGU
Eduardo & Marcelo, isso tem que terminar em LIVRO, não é possível que cada vez mais apareçam esses relatos e fotos sensacionais. Lembro antes da viagem você estava meio receoso com os animais... agora entendo perfeitamente. Declaro-os meus heróis !!! Fraterno Moto Abraço a todos, Gugu.
 

Comente

Nome
E-mail
Comentário
Escreva a chave:
KSOE
 abaixo