Dicas

DICAS PARA ANDAR DE MOTO NA CHUVA

 
Dias chuvosos com o de hoje são realmente uma dor de cabeça para os motociclistas. Água na viseira do capacete, pista escorregadia, buracos, além de bueiros abertos que não podem ser vistos em áreas alagadas, são alguns dos desafios enfrentados pelos condutores.

Além destes vilões, o próprio motorista muitas vezes também contribui para que os acidentes aconteçam: “Por falta de informação ou até mesmo por imprudência, o motociclista acha que deve pilotar em um dia chuvoso da mesma forma que pilota em dias ensolarados. E aí que mora o perigo”, alerta Daniel Seabra, instrutor de pilotagem da Motomar Honda.

Certas situações são difíceis de serem evitadas, mas algumas atitudes são garantia de maior segurança para o motociclista.

Tomás André Santos é consultor em integração de sistemas contábeis, especialista em limpeza e conservação de motocicletas, além de motociclista há mais de 35 anos. Aqui, ele enumera alguns itens a serem seguidos:



1) O início da chuva
Seja fraco ou forte, o início da chuva é o momento mais crítico. Na pista, assim que começa a chover, formam-se misturas de água com resíduos de óleo, combustível e sujeira, que normalmente acabam pingando dos veículos. Essas misturas formam combinações muito perigosas e escorregadias, que comprometem totalmente a aderência dos pneus com o solo, que só será “lavada” pela própria chuva após alguns minutos de dilúvio.

2) Tome rapidamente suas decisões
É comum quando a chuva começa repensarmos nossa rota, muitas vezes optamos por não continuar com o mesmo trajeto. Decida-se e redefina rapidamente seus objetivos, não fique na dúvida, pois ela poderá gerar uma ansiedade prejudicial às nossas decisões de pilotagem.

3) Freios e pneus
Cuidado, pois o sistema de freios fica parcialmente comprometido. Existe uma boa redução da eficiência dos componentes do freio com a umidade. Por causa da água, os pneus também perdem parte da sua aderência. Outra coisa importante: normalmente, o motociclista acaba aumentando a pressão nos freios, mas isso pode acarretar em grave queda, pois, embora o disco esteja molhado, conforme as pastilhas se comprimem contra o disco, a superfície seca. Quando isso ocorre o freio pode travar repentinamente. Em caso de aquaplanagem (deslizamento em uma superfície de água) o correto é desacelar, e não acionar os freios.

4) Adversidades
Além dos fatores técnicos e mecânicos, a chuva gera outras condições adversas. Procure não fazer manobras ou freadas bruscas, pois o risco de derrapagem é grande. Se você sentir que a motocicleta está “dançando” um pouco na pista, diminua a velocidade, ela deverá ganhar peso e os pneus voltarão a tocar o solo com mais firmeza.

5) Visibilidade
Com chuva, procure pilotar de forma bem “burocrática”, ou seja, ande somente na frente e na traseira dos carros, pois dessa forma você se tornará mais visível. Lembre-se que os motoristas, por causa da cortina de água da chuva e dos vidros embaçados, também estarão com dificuldades de visão. Mantenha o farol na “luz alta” o tempo todo, isso irá melhorar um pouco sua visão, e os outros veículos também terão uma boa visibilidade da sua motocicleta. Se estiver em movimento, não ligue o pisca-alerta, esse tipo de iluminação só deve ser acionado se a moto estiver parada.

6) Alternância entre locais secos e molhados
Um problema muito comum, mas pouco observado e identificado pela maioria dos motociclistas, é a alternância entre locais secos e molhados. Fator que ocorre em virtude dos viadutos, das árvores e de marquises avançadas. Esse fenômeno gera uma deficiência da pilotagem. Instintivamente, o piloto acredita que se encontra em um piso com determinada característica e, sem que ele perceba, esse padrão de umidade muda bruscamente e compromete toda a segurança.

7) Perigos escondidos
Outro problema muito comum em dias de chuvas intensas é que em determinados locais a água sobe mais que o nível do solo e acaba escondendo grandes buracos, que são verdadeiras armadilhas para as motocicletas. Para evitar esse problema, procure sempre transitar pelo local onde a maioria dos veículos e motocicletas está passando.

8) Capacete e viseira
Na chuva, é necessário abaixar totalmente a viseira, o que normalmente poderá embaçar. Mantenha abertas todas as entradas de ar de seu capacete. Esse é um dos motivos que justificam a utilização de equipamento de boa qualidade e com a viseira totalmente limpa e tratada com produtos antiembaçantes.

9) Outros equipamentos de proteção
Além do capacete, botas, luvas, jaqueta ou macacão, independentemente do seu estilo e da finalidade de uso da motocicleta, são importantes para pilotar de modo seguro. Lembre-se que em se tratando de equipamento de proteção é preciso escolher aquele que atenda não só o bolso, mas também a proteção mínima.

10) Faixas brancas de sinalização
Um cuidado redobrado deve-se ter com as famosas faixas brancas na pista de sinalização de trânsito. Sem chuva, elas já derrubam muitos motociclistas, com temporais é praticamente impossível se manter sobre elas. Em hipótese alguma transite em alta velocidade no mesmo sentido dessas faixas, em especial nas curvas. Procure sempre cruzá-las, que é mais seguro.

11) Conservação e qualidade dos pneus
As chuvas são um daqueles momentos que percebemos a verdadeira importância de se adquirir pneus de boa qualidade, e também de não utilizar pneus que já atingiram seu desgaste total. Cuidado também com alguns pneus que são normalmente comercializados como “pneus de chuva”, pois na realidade não são. Estes irão dar uma falsa sensação de segurança.

12) Ultrapassagem
Na ultrapassagem a regra é a mesma para os carros, ou seja, não se deve passar pela direita. Quando parar em um semáforo procure ocupar apenas uma faixa e, de preferência, o lado direito quando tiver mais de uma pista. Se for parar logo atrás de um automóvel procure respeitar a distância mínima. Se acontecer de algum carro que vem atrás não conseguir parar, desse modo o motociclista não será prensado no carro da frente.

13) Não cometa imprudências
Ninguém pode garantir uma conduta segura debaixo de chuva. Existem muitas variáveis a serem analisadas, como o tipo de motocicleta, o piso, a quantidade de água, as condições locais, a forma de condução, entre outras. Se você perceber que sua moto não responde perfeitamente aos seus comandos ou se sente inseguro, não pense duas vezes, pare imediatamente, ligue o pisca-alerta, e aguarde a situação do tempo melhorar.

14) Quando a chuva passar
Após enfrentar a água, o motociclista deve tomar algumas medidas para que os componentes sejam preservados. Um dos cuidados é levar a moto a uma oficina para que as peças sejam lubrificadas, pois elas tendem a perder a lubrificação no contato com a água. Além disso, é preciso atenção com o disco do freio. Ele trabalha em alta temperatura e, por isso, recomenda-se que em dias de chuva a frenagem deve ser feita progressivamente. Caso contrário, pode ocorrer um choque térmico no contato com a água, que provavelmente resultaria em um disco empenado.

O mais importante de tudo é a atenção. Tenha sempre cuidado, ele nunca é demais e curta todo visual que somente quem está a bordo de uma motocicleta é capaz de viver.

Fontes: Revista Extreme, Jornal O Norte, Portal G1
 
 
 
Bookmark e Compartilhe
 

Comentários (3)

2/2/2017 19:52:57
LEXID7CIQ
He is foolish and maybe on purpose.It’s not real anti semites he is worried about or has to worry about, it’s those who won’t let the threat or accusations of anti semitism be used to curtail opposition to Israel-I/P or Israel-US or enable it.We’re the danger because we dismiss the anti semitism a21;thre2t≵ and without that threat the zionist and Israel lose their last leg to stand on.
 
4/6/2012 05:12:54
SERGIO
Caros, aditando a minha experincia de 45 anos, sendo nos ultimos 6 anos em viagens pela Europa e norte da Africa, sempre com minha mulher e 35kg de bagagem, esse ano fizemos A russia e is paises Balticos, e um raro momento peguei um forte chuva de granizo deixando a pista totalment branca de gelo
A minha recomendacao, por estar invicto, nao tomar chao r
Em 450.000 km sim quatrocentos e cincoenta mIl km
1)manter distancia de no minimo 50 mts
2) nao ficar no mesmo eixo longitudinal dos caros
3)andar mais rapido que o fluxo
4)olhar pra tras antes de brekar
5) evitAr brekar e sim desviar
6) se sua moto nao tiver abs, choveu, tire os dedos do brekque dianteiro
Eoque temOs
Andar
 
16/5/2012 12:41:41
REGINALDO
veja ai para ficarmos bons pilotos
 

Comente

Nome
E-mail
Comentário
Escreva a chave:
BLTK
 abaixo