Viagem pelo Mar Negro

De Tiblissi a Yerevan, Armênia

23 de maio de 2011

 
Aproveitamos o domingo de sol em Tiblissi para “turistar” pelas ruas da capital da Geórgia. É uma cidade interessante, onde se cruzam as épocas na história.
São mosteiros e castelos medievais, entremeados de belas casas de estilo clássico dos séculos XVIII e XIX , horríveis prédios construídos durante o regime soviético e modernas pontes, igrejas e palácios estabelecidos após a independência do país, em 1992.















O rio que cruza a cidade é um ponto de referencia para qualquer visitante assim como o Senna o é em Paris e o Tévere em Roma.

O que mais chama a atenção para quem chega a Tiblissi é o mau estado geral dos prédios, e da infraestrutura, entremeados de ilhas de progresso em cafés, restaurantes e pequenas pousadas e hoteizinhos como aquele em que ficamos hospedados.

Na metade da tarde, recebemos nossos amigos italianos que chegaram de sua longa travessia desde Torino, na Itália.

São dois casais, Cláudio e Carla Giacosa, bons parceiros de várias viagens por este mundo, Gianni e Oretta, que eu não conhecia a companhados de Maurizio e Rino, que viajam em solo.
Maurizio participou conosco da viagem ao Uzbequistão e ao Marrocos.

Nesta viagem, Cláudio, Rino, Beppe e eu rodamos em GS Aventura.
Gianni em uma Super Teneré e o Maurizio em uma KTM 990.
É muito bom poder rever seus amigos e, sobretudo, poder compartir os próximos dez dias de estrada com excelentes parceiros e motociclistas.
Prudência, companheirismo e experiência é a marca registrada de cada um deles.

Hoje pela manhã saímos de Tiblissi. A dinâmica muda.Já não somos duas motos, somos 6.
Há sempre um outro ritmo, outro compasso de desenvolvimento do grupo.
Solicitaram que eu liderasse na estrada pois sou conhecido por minha moderação na velocidade.

Deixamos a capital da Geórgia no rumo sul, em direção à fronteira com a Armênia a 70 kms de distancia.
Por estradas secundárias, coalhadas de buracos e de remendos, fomos toureando os motoristas Georgianos e, de olho no pára-brisa, fomos mantendo o grupo de seis motos coeso e seguro.
A passagem de fronteira se deu sem nenhum tipo de problema, nem na saída da Geórgia, nem na entrada da Armênia.

Os procedimentos foram rápidos e eficientes.
Logo após o controle de passaportes do lado armênio, fomos obrigados a fazer uma apólice de seguro para a moto para o período em que estivermos rodando pelo país. Custou pouco. Em torno de 15 reais por moto.


Logo após a fronteira, começamos a perceber que, se por um lado a paisagem se torna maravilhosa, com montanhas altíssimas e uma estradinha que vai acompanhando um rio extremamente caudaloso, o tempo e a estrada começam a se deteriorar.
A chuva chega junto com os enormes buracos em toda a extensão da pista.
Pilotar a moto passa a ser um exercício de concentração.
Confesso que gosto, pois é bastante lúdico e divertido.
O que era chuva passa a ser uma tromba d’água.
Paramos para colocar nossos trajes impermeáveis.
Estou navegando pelo mapa pois nossos GPS não funcionam por aqui.

Verifico no plano que há dois santuários espetaculares a poucos kms de nossa estrada. São mosteiros do século VIII, com mais de 1200 anos!
Ambos fazem parte do patrimônio da Unesco, obviamente, imperdíveis.
Escalamos com as motos uma enorme montanha, em uma subida de mais de 12 graus, As GSA’s pesadas de traseira, com toda a bagagem tendem a erguer a roda dianteira.
Posiciono-me bem à frente na sela e vou levando a “baleia” em meio à chuva que insiste em nos dificultar um a visibilidade e da mesma forma, cobrindo de água e escondendo grandes crateras.
Chegamos ao primeiro mosteiro, de nome Haghpat, com rapidez pois o lugar estava muito bem indicado.
O sítio é extraordinário por seu nível de conservação. Suas múltiplas capelas, e o piso totalmente revestido de pedras tombais de muitas centenas de anos, lhe dão um aspecto irreal, quase fantasmagórico.

Percorri o lugar em toda sua extensão e verdadeiramente curti cada minuto.
O mesmo se aplica para o segundo mosteiro, de nome Sanahim, tão grande quanto o primeiro e igualmente fascinante.
Depois dessa edificante visita, voltamos aos buracos e à chuva.

Em alguns kms encontramos uma pequena casa junto à estrada que eu interpretei como uma espécie de restaurante caseiro e decidi encostar a moto para perguntar com algumas palavras de russo que conheço se era um

(PECTOPAH) que em cirílico quer dizer: RESTORAN.

A senhora confirmou e abriu a geladeira para me mostrar que poderia fazer um Kebab, que é um espetinho de carne moída de carneiro.
Fomos servidos com um excelente assado de carne moída, pão fresco, uma salada de cebola com coentro, vinho e cerveja. Alguém precisa de mais?
Pagamos o equivalente a 50 reais para nove pessoas, incluindo as bebidas.

Os últimos 100 kms até Yerevan foram entre sol e chuva através de uma planice de 2.000 metros de altitude entre fantásticas montanhas até que começamos a descer em direção à capital da Armênia.
A uns 30 kms da cidade, avistamos o majestoso Monte Ararat que eu já tive o privilégio de encontrar do lado turco, há três anos atrás quando fomos ao Irã.
Entramos em Yerevan e, ajudados por motoristas atenciosos, fomos recebendo informações que nos levaram ao hotel que tínhamos reservado.
Bem localizado e correto.

Hoje jantaremos juntos em nosso grupo de nove amigos.
No cardápio, os comentários deste primeiro dia na estrada e as adoráveis impressões que todos tivemos nesta sofrida estradinha entre Geórgia e Armênia, dois dos países cristãos mais antigos do mundo, esbanjando história, enterrados em pleno Cáucaso, essa região nervosa e instável, mas absolutamente e definitivamente bela.
 
 
 
Bookmark e Compartilhe
 

Comentários (2)

2/2/2017 20:30:12
W1JZM0VR
J'avoue que j'aime beaucoup de "fast food" que l'on n'appelle pas ainsi mais "street food". pourtant; cela revient un peu au même. Alors ce que j'aimerais trouver plus souvent en France: le pain au yakisoba et els takoyaki! (Et aussi les galettes au zaatar et les croquetas esr&#noles...)(Jag39;espèpe que faire plusieurs voeux pieux au seigneur du fast food n'empêche pas de jouer!)
 
28/6/2016 09:21:12
S4ETNL5VV
Dhan:Kan tinggal buka file access trus buat database, Query, Form dan report..hehehe.. becanda ni, Ms Access buat diapain gaR?a.Th.nknegardLapodding
 

Comente

Nome
E-mail
Comentário
Escreva a chave:
GRTD
 abaixo