Destino Alasca

Segunda-feira: Indianapolis, IN

10.10.2011

 
A única atividade turística aqui foi a visita ao autódromo. Até pensamos em ficar mais um dia em Muskegon, mas há um tour mais completo, percorrendo a pista e outros pontos, que ocorre apenas alguns dias durante o mês, de março a novembro. E em outubro, até o dia 15 só havia um outro dia que era hoje.

E lá fomos nós! Esse tour percorre os quatro quilômetros (duas milhas e meia) da pista, com direito a uma parada na famosa linha de chegada em tijolos, e depois percorre salas da imprensa, cronometragem, pódio (que só é usado pelos vencedores do Moto GP) e o padock, com salões que se pode alugar. Segundo o guia, qualquer um (ficamos imaginando como esse 'qualquer um' faria para passar à frente das grandes corporações) pode alugar um desses salões. O mais barato custa 55 mil dólares, que dá direito a 80 pessoas de entrar e sair do autódromo durante os 14 dias que dura o evento da Indy 500, com estacionamento ao lado da torre, acesso a algumas áreas especiais como os pits, e todo o conforto de um salão acusticamente isolado e mais um conjunto de poltronas para assistir à corrida. Para fanáticos ou para aquele 'uma vez na vida' nem é tão caro: menos de US$ 650 por pessoa. Ah, mas a champagne e o caviar você tem que levar...

clique na foto para ampliá-la
Entrada do autódromo  
clique na foto para ampliá-la
Museu do autódromo  
clique na foto para ampliá-la
Parte interna do circuito  
clique na foto para ampliá-la
A famosa linha de chegada  


Essa visita é acompanhada de explicações detalhadas sobre o uso das facilidades e da história do circuito. Depois pode-se visitar o museu que mostra a evolução das motos, dos carros, fotos de todos os campeões, com o Brasil bastante bem representado (Emerson Fittipaldi duas vezes, Tony Kanaan uma e Helio Castroneves três vezes) troféus e outros objetos.

É interessante pensar que um complexo desses, com custos que devem ser imensos, consegue sobreviver com apenas três corridas num ano: a famosa Indy 500, Brickyard 400 (Nascar) e Red Bull GP (Moto GP). Ué, dirá você, Interlagos não é diferente... É sim: Indianapolis Motor Speedway é propriedade privada (família Hulman) e deve dar lucro!

clique na foto para ampliá-la
Stoddard Dayton 1911  
clique na foto para ampliá-la
Vencedor da primeira Indy 500  
clique na foto para ampliá-la
Vista geral dos carros do museu  
clique na foto para ampliá-la
Veículo a jato recordista de velocidade  


Mais uma vez, como já vimos em outros museus, todas as pessoas que trabalham ali são pessoas já de idade, começando pela porteira-segurança que dá orientação na entrada, motorista do ônibus, guias em geral. É interessantíssimo (e muito bonito) ver como a terceira idade é mantida ativa e ocupada com auxílio dessas instituições.
 
 
 
Bookmark e Compartilhe
 

Comentários (2)

2/2/2017 20:21:09
I4KCFHNLTB
Hating Martha – Bloggy Olympics! Chic on a Shrtneoisg Decorating Five days 5 Ways Between Naps on the Porch Our Delightful Home Not JUST A Housewife House of Hepworths
 
28/6/2016 13:05:42
AIFKZRDS
Dude, right on there brotehr.
 

Comente

Nome
E-mail
Comentário
Escreva a chave:
HBLD
 abaixo