Repórter Obrigatório

08.02.2011 - SIDI IFINI - LAAYOUNE

 
clique na foto para ampliá-la
Estava prometido para o quarto dia de aventura o primeiro contacto com o deserto. Aliás, em parte viemos em busca desta experiência. Entusiasmados, deixámos o Hotel Suerte Loca por estradas idênticas àquelas que nos conduziram a Sidi Ifni. Um sobe e desce a serpentear pequenas colinas de vegetação rasteira.

Assim foi até Guelmim, quando estavam percorridos apenas 60 km. A partir desta localidade, predominantemente de cor ocre, muda a paisagem, mais árida agora, renova-se a estrada que progressivamente se torna menos sinuosa e aumenta a presença militar que se faz ver e sentir. Lentamente sentimo-nos engolidos por outra dimensão.

Compreendemos, lentamente, estarmos a percorrer a denominada Estrada Atlântica onde as rectas estreitas cortam a paisagem, cada vez mais árida, cada vez mais imensa. Se dúvidas houvesse as placas indicavam “Dakhla 1000 km”. Como quem diz, vê lá no que te metes. Ao entrar em Tan-Tan, um novo ritual era inaugurado: La fiche, si vous plais.

Simpáticos, aceitam uma fotocópia do nosso passaporte com mais alguns elementos adicionais. Cada um de nós transporta consigo cerca de três dezenas da fiche para progredir mais rapidamente, sem demoras. E funciona...

Aqui almoçámos, não sem antes beber o famoso chá marroquino. Fiquei fã... Sem mais delongas dilatámos a progressão no deserto que se faz sentir maior e mais dominador da paisagem e dos pensamentos. Aqui e ali, lagos secos de onde extraem sal.

Nas rectas mais perto da costa, alguns pescadores, que lançam a linha das arribas de 30 metros, confundem-se com as pedras. Os animais, agora quase só cabras, pastam nas bermas como dantes, mas agora sem pastor. Um perigo... Lentamente surgem as primeiras dunas e com elas as primeiras línguas de areia na estrada. Mas, o que mais enche, o que mais perturba é, contraditoriamente, o vazio... o vazio do deserto. É uma rota incrível... cheira-me que tenho de cá voltar. A passagem da “fronteira” com o Sahara Ocidental é quase desconsiderada.

Na verdade tive de voltar atrás com o Paolo para entalhar a circunstância no cartão de memória da máquina fotográfica, que ficou à mão para fotografar os meus primeiros camelos no seu habitat natural.

Admirável... e eu que nem gosto muito dos bichos... Já em território Sahara, percorremos poucos km até atingir o goal de hoje, Laayoune, mas só depois de passar mais dois postos de control. La fiche, si vous plais… dizem os agradáveis senhores agentes da autoridade. O hotel, de 4 estrelas (locais...), é agradável e tem Net! Até amanhã, em Dakhla.

clique na foto para ampliá-la
clique na foto para ampliá-la
clique na foto para ampliá-la
clique na foto para ampliá-la


 
 
 
Bookmark e Compartilhe
 

Comentários (2)

2/2/2017 20:24:48
WQE7PBCPA
Hei:)Må bare si deg at jeg aldri har sett så nydelige julekort!! Og søte barn! Skulle ønske du hadde bodd nærmere - da skulle du fått tatt bilder av min familie.God tur - og kos dere maMar!!sseit:)
 
28/6/2016 15:28:57
X3XG4TP3CI
Im impressed! Youve managed the almost imisospble.
 

Comente

Nome
E-mail
Comentário
Escreva a chave:
STRK
 abaixo